no

Para concorrerem a vagas na próxima edição do Oscar, filmes poderão estrear no streaming

A decisão foi tomada por conta do fechamento de salas de cinema e teatro em Los Angeles (EUA)

De acordo com informações do site “The Hollywood Reporter”, após uma reunião com 54 membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas ter acontecido nesta terça-feira (28), ficou decidido que, para concorrerem a vagas na próxima edição do Oscar, filmes poderão estrear no streaming.

A medida foi tomada por conta da pandemia do novo coronavírus, que provocou o fechamento de salas de cinema e teatro em Los Angeles, nos Estados Unidos.

“A Academia acredita firmemente que não há maneira melhor de experimentar a magia dos filmes do que vê-los em um cinema. Nosso compromisso com isso é inalterado e inabalável. No entanto, a pandemia historicamente trágica da covid-19 exige essa exceção temporária às nossas regras de elegibilidade para prêmios. A Academia apoia nossos membros e colegas durante esse período de incerteza. Reconhecemos a importância de seu trabalho ser visto e comemorado, especialmente agora, quando o público aprecia filmes mais do que nunca”, afirmaram David Rubin, o presidente da Academia, e Dawn Hudson, o diretor executivo, em comunicado.

A data da cerimônia da 93ª edição do Oscar continua prevista para 27 de fevereiro de 2021.

HOLLYWOOD, CA – FEBRUARY 26: A view of oscar statuettes backstage during the 89th Annual Academy Awards at Hollywood & Highland Center on February 26, 2017 in Hollywood, California. (Photo by Christopher Polk/Getty Images)

O que achou? Deixe seu comentário!


Leia mais  Apesar da paralisação de filmagens em boa parte do mundo, Netflix tem filmes prontos para lançar até 2021

O que você acha?

Written by Nathalia da Silva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estados Unidos têm 957.875 casos oficiais e 53.922 mortes em decorrência da Covid-19

A boyband sul-coreana de k-pop, BTS, suspenderá turnê mundial por conta da pandemia do novo coronavírus